Candelória

Levo desde meados de janeiro a trabalhar em Mondonhedo e aqui ficarei, quanto menos, até a chegada do Entruido. Estou a descobrir aqui uma vila cheia de História e mais o isolamento do mundo que conheço. Esta viagem é uma oportunidade para a introspecção e a vida pausada. Uma oportunidade que começo a aproveitar com a chegada deste mês de fevereiro em que os dias se tornam frios conforme crescem.
Chega logo a Candelória, o início do tempo de entruido em que despertamos a Terra do seu letargo com festa e troula; o tempo de Dona Brígida, A Mais Alta, a Senhora do lume da inspiração, do lar e da forja.

Como celebração, deixo-vos este presente:
duas leituras, um álbum e uma playlist que são testemunhas e companheiras desta viagem.

🌿

As leituras:

Quintía Pereira, Rafael. (2017). Mariña: de deusa a santa. Galaxia

Carreras, Júlia (2022). Vienen de noche. Estudio sobre las brujas y la otredad. Luciérnaga


O álbum:


A playlist

Deixa unha resposta

O teu enderezo electrónico non se publicará Os campos obrigatorios están marcados con *